Motivação Pessoal

@ Autoajuda

Dinheiro e Negócios

@ Internet

Ciência e Tecnologia

@ Física Quântica

Espiritualidade

@ Enigmas

Eu Crio a Realidade

@ Lei da Atração

Mente e Cérebro

@ Pesquisas

Cursos e Livros

@ esoterismo

Nova Era

@ Seth

Numerologia

@ Esoterismo

SONHOS

@ Dicionário

Holismo

Hipnose

Lei da Atração

Seth Fala

Motivação Pessoal

Meus Livros

 

JANE ROBERTS E AS CANALIZAÇÕES DE SETH

"VOCÊ CRIA A SUA REALIDADE"

 

  Jane Roberts e sua canalização de Seth é um fenômeno no campo da canalizações que intriga até mesmo os céticos.

Há canalizações e canalhizações.

 

Há JANE ROBERTS e SETH...

e há Bashar,  Kryon, e RAMTHA.

 

  Texto de Wilson Mello Franco        [Veja também Os filhos de Seth]

 

JANE ROBERTS nasceu em 8 de maio de 1929, e faleceu em 5 de setembro de 1984, aos 55 anos.  É uma das grandes escritoras da chamada Nova Era, autoproclamada psíquica e médium espírita, e que supostamente canalizava uma entidade que se dizia chamar Seth, o qual escreveu alguns livros através dela, enquanto ela mesma publicava seus próprios livros.

 

Sua publicação dos textos de Seth, conhecido como "Seth Material", a colocou como uma das mais proeminentes figuras no mundo dos fenômenos paranormais. A Biblioteca de Manuscritos e Arquivos da Universidade de Yale mantém uma coleção intitulada Papeis de Jane Roberts Papers, com praticamente todo o material produzido de 1963 até sua morte em 1984 quando canalizava Seth, doado por seu marido Robert Butts e outros indivíduos e organizações.

 

Como escritora Jane escreveu uma variedade de gêneros: poesia, literatura infantil, ficção e não-ficção e outros. Estava com 30 anos quando ela e seu marido Robert começaram a gravar o que ela dizia eram mensagens vindas de uma personalidade chamada Seth, e ela escreveu 10 livros ditados por Seth a partir desta experiência enquanto continuava a publicar seus próprios trabalhos.

 

O Seth Material (1969), o segundo livro ditado por Seth, Seth Speaks (Sete Fala, 1971) se constituem o carro-chefe do movimento intitulado “você cria sua realidade”.

 

DO INÍCIO AO FIM

 

No final de 1963, Jane Roberts e seu marido, Robert Butts, faziam experiências com uma mesa Ouija como parte da pesquisa de janeiro para um livro sobre a percepção extrassensorial. Jane e Robert afirmaram que eles começaram a receber mensagens coerentes de uma personalidade masculina em 2 de dezembro de 1963, que mais tarde se identificou como Seth. Logo depois Jane relatou que ela estava ouvindo as mensagens em sua cabeça e começou a ditar as mensagens em vez de usar o tabuleiro Ouija, e a mesa foi finalmente abandonada. Durante 21 anos, até a morte de Jane em 1984 (com um hiato de um ano, devido a sua doença final), Jane realizou sessões regulares em que ela entrava em transe e supostamente falava em nome de Seth.

 

 

De acordo com Jane, Seth se descreveu como uma "personalidade de essência de energia que já não se manifestava na matéria física", que era independente do subconsciente de Jane, embora a própria Jane expressasse ceticismo quanto às origens de Seth, muitas vezes referindo-se a declarações de Seth como "teorias".

 

Roberts afirmou que Seth indicava que havia completado suas reencarnações terrenas e estava falando de um plano de existência adjacente. A personalidade Seth se descreveu como um "mestre", e disse que este material já havia sido passado por ele mesmo e outros como ele em outros tempos e lugares, e que passado de novo, de novas maneiras, a cada nova geração através dos séculos".

 

Havia também um “Seth 2”, uma espécie de alter ego de Seth.

Ao contrário do vidente Edgar Cayce, cuja sintaxe quando falava em transe era complicada, e excessivamente empolada, dando margem a dupla interpretação, a estrutura da sintaxe das sentenças de Seth, através de Jane era moderna e clara.

 

   Para as canalizações Jane sentava-se geralmente em uma cadeira de balanço durante as sessões, e ocasionalmente fumava cigarros e bebericava uma cerveja ou vinho, ao que Seth certa vez disse que se sentia gratificado por sentir novamente esses prazeres terrenos através do corpo de Jane.

 

  Do mesmo modo que Edgar Cayce, após as sessões Jane dizia não se lembrar do conteúdo da sessão, e ela costumava ler a transcrição ou perguntar o que Seth tinha dito. A semelhança com Cayce, no entanto, parava por aí, pois Jane conservava-se perfeitamente consciente podendo sair do transe a qualquer momento se fosse perturbada.

 

No início de 1982 Jane passou um mês no hospital com problemas críticos de tiroide, saliência nos olhos e dupla visão, e quase total surdez, anemia leve, desenvolvimento de escaras, e infecção hospitalar. Recuperou-se, mas dois anos e meio depois teve que se manter acamada pela artrite severa, aparentemente herdada da mãe. Algum tempo depois numa nova internação faleceu com problemas pulmonares.

 

Sua morte prematura fez com que seus inimigos questionassem a validade dos textos de Seth, que supostamente deveria ter percebido sua decadência física e tê-la alertado, mas Seth sempre disse que era completamente apartado de Jane, e que não tinha nenhuma influência sobre seu corpo físico ou psíquico.

 

Seu marido Robert se casou de novo e continuou publicando materiais de Seth até 2004, lançando novos livros com materiais remanescentes. Faleceu em 2008 e numerosos grupos deram continuidade ao seu trabalho na internet compilando ensinamentos, livros e sessões, gravações de conversas e lições.

 

 

Veja também Os filhos de Seth  CONTINUA